Apostar no mercado imobiliário é uma opção interessante para diversificar a carteira de investimentos e garantir uma renda-extra com o aluguel. A tendência de valorização dos imóveis é uma opção atrativa para construir o patrimônio, mas é comum a dúvida entre os residenciais ou comerciais.

Essas duas alternativas têm características muito diferentes, então é importante reunir o máximo de informações antes de escolher. Para ajudar nesse processo, separamos os prós e contras de cada imóvel e explicamos como funciona o investimento nas modalidades. Continue a leitura para saber mais!

Qual a diferença entre os imóveis residenciais ou comerciais?

Os imóveis residenciais são voltados para a moradia — dessa forma, têm espaços mais largos e são divididos por cômodos. Em geral, a locação das casas e apartamentos são feitas em contratos curtos (30 meses de média), o que acelera o reajuste. No aluguel por temporada, as durações são a partir de um dia.

Os imóveis comerciais são destinados ao uso de empresas e, por isso, podem ser menores (uma sala, por exemplo). Nesse caso, os contratos são mais longos e com menos oportunidades de reajuste, mas se o inquilino tiver um negócio próspero, há menos dificuldades para receber o aluguel mensalmente.

Como é o investimento nesses tipos de imóveis?

A procura por salas comerciais está ligada à situação econômica do país. Em tempos de crise, muitas empresas passam por dificuldades e o proprietário tem problemas para encontrar interessados. Por outro lado, períodos de crescimento são mais interessantes para o aluguel, mas vale destacar o crescimento dos espaços de coworking.

Nos imóveis residenciais, essa variação é menor, porque as pessoas precisam de um lugar para morar. Um fenômeno natural é a diminuição no preço dos alugueis, mas essa é uma consequência da crise em todos os mercados. Fatores como tamanho e valorização influenciam na renda obtida.

Como os ganhos são proporcionais aos riscos, o comercial tem o potencial de render mais dinheiro. Com as mudanças na Lei do Inquilinato, as duas modalidades ficaram com regras parecidas, então o proprietário tem mais segurança para escapar dos prejuízos (como receber o imóvel de volta mais rápido).

Se a rentabilidade pode ser menor, a grande vantagem das casas e apartamentos é que eles são alugados mais rapidamente. Um bairro com infraestrutura e sistemas de transporte eficientes, por exemplo, tem muita procura e oferece uma oportunidade de renda com regularidade.

Como escolher a melhor opção para comprar?

É impossível cravar a opção mais vantajosa, porque ela varia com o perfil do investidor. Pessoas mais experientes e que têm tempo para cuidar de perto dos imóveis podem optar pelo comercial, porque estão preparadas para os momentos mais difíceis das empresas.

Por outro lado, se você não quer perder tempo com a locação e a administração dos imóveis, investir no residencial e fechar o contrato com o inquilino pode ser mais interessante.

Nos dois casos, acionar uma empresa especializada é fundamental, já que ela garante que receberá o valor acordado todo mês e não precisa se preocupar periodicamente com novos interessados. A sua principal vantagem é a simplificação da gestão do local.

Os imóveis residenciais ou comerciais são diferentes entre si, então é importante definir qual o seu objetivo. De qualquer forma, a dica é contar com uma imobiliária para fazer a administração do local alugado, porque o auxílio especializado aumenta a segurança da operação e garante a sua rentabilidade.

E aí, o que achou das informações? Siga as nossas páginas no Facebook e LinkedIn para se atualizar sobre o mercado imobiliário!